FORGOT YOUR DETAILS?

sexta-feira, 21 setembro 2018 / Publicado em Blog

Os drones estão cada vez mais ganhando espaço e mostrando inúmeras possibilidades. Serviços de entrega já planejam ou já utilizam esses dispositivos, pesquisas e até mesmo estratégias de guerra podem se beneficiar.

 

No entanto, o maior foco está na fotografia e nas filmagens aéreas de forma profissional. Casamentos, shows, grandes festivais e eventos esportivos podem se beneficiar bastante com a filmagem feita por drones.

 

Se você curte tecnologia, gosta de filmar e editar vídeos e está em busca de uma renda extra ou de uma nova profissão, então vale a pena conhecer o mercado de drones. A demanda está crescendo e o Brasil ainda conta com poucos profissionais especializados no setor. Então, confira a seguir algumas dicas sobre o tema.

 

Dicas de filmagem profissional com drones

 

1. Planejamento
O primeiro passo é montar um plano de voo, conhecer o local e fazer testes de imagem. Dessa forma, no momento da filmagem você já saberá quais os melhores ângulos e cenas que não podem faltar.

 

2. Roteiro
Todo vídeo conta uma história. Pensando nisso, defina qual mensagem você deseja passar com a sua filmagem e monte um roteiro detalhado antes de sair para filmar. Assim, você assegura que terá sucesso com o seu projeto. Essa dica vale também para eventos e casamentos. Busque se informar sobre os detalhes mais importantes e sobre a previsão de horário para cada acontecimento.

 

3. Preparo
Antes de sair para filmar, avalie todo o equipamento. É importante checar se está tudo funcionando bem, se as baterias estão carregadas e se você tem todo o material que precisará. Além disso, vale a pena verificar a previsão do tempo e a força do vento no horário marcado para a filmagem. Afinal, dará menos trabalho remarcar a data do que arriscar a segurança dos equipamentos se o clima não estiver favorável.

 

4. Pratique
Logo ao comprar o seu drone, comece a filmar perto de casa, em parques e praças. É importante praticar e se acostumar com o equipamento para dominar cada pequeno detalhe. Além disso, vale lembrar que cada filmagem é única, então vale a pena chegar meia hora mais cedo quando precisar fazer uma filmagem profissional e filmar um vídeo curto para testar a iluminação e conhecer o ambiente.

 

Como escolher um drone perfeito para filmagem profissional
– Avalie a marca e pesquise se será fácil encontrar assistência técnica para o modelo escolhido
– Confira o raio de alcance do drone e também do controle remoto
– Considere se a autonomia energética do modelo desejado está de acordo com os seus objetivos de uso
– Pesquise se é mais vantajoso investir em um drone que já vem com câmera ou se vale acoplar uma filmadora
– Busque a opinião de usuários que já conhecem o modelo que você deseja
– Analise se as instruções de uso são acessíveis e escolha um modelo com o qual você tenha facilidade de manuseio
– Anote os prós e contras de cada modelo antes de decidir e fechar a compra

 

Bons Voos!!!


segunda-feira, 10 setembro 2018 / Publicado em Blog
Abra a sua empresa de drones

Os drones chegaram para ficar. Com cada vez mais recursos estão sendo utilizados em diversas áreas, como agricultura, construção civil, mapeamentos aéreos, inspeções e etc.  Esses equipamentos vêm atraindo um número grande de pessoas pelo seu mercado em ampla expansão, oportunidades pontuais de negócios e até mesmo para diversão no dia-a-dia.

Porém a grande dúvida após você adquirir o seu equipamento é como ter sucesso mais rápido com os drones ?

Para operar um drone da melhor forma segura possível é necessário praticar com frequência, criar um checklist e planejamentos de voos para que você saiba exatamente como executar o seu voo. Não sei se você lembra, mas nós realizamos um post sobre os 5 acidentes mais comuns na hora de pilotar

Para você que prefere adquirir um conhecimento mais rápido, recomendo cursos específicos de drones que capacitem o aluno a enfrentar os desafios de formais objetiva e rápida. Neste ponto, confie sempre em um profissional qualificado em filmagens aéreas, pois a experiência de campo fará muito diferença no seu aprendizado.

“Um dos melhores treinamentos de drones do Brasil”
CONSULTORIA DE PROFISSIONAIS DO MERCADO
O aprendizado flui quando estamos em contato direto com aqueles que buscam aprender. Entender a demanda da região dos nossos alunos facilita o desenvolvimento do aprendizado de acordo com as características locais, seja do seu estado ou município. Isso permite que o aluno já saia preparado para lidar com o drone e todas as oportunidades que estão ao seu redor, de acordo com cada perfil.

EXPERIÊNCIA DE CAMPO EM NOSSO CLIENTE
Somos a única escola de drone que permite que nossos alunos possam ver a realidade de como é trabalhar com filmagens aéreas em nossos clientes de construção civil. E este ponto é muito importante: não realizamos o curso somente através de video-conferências e recursos audiovisuais durante o seu aprendizado, como é o caso da grande parte dos cursos de drones no Brasil. Serão consultorias diárias que contribuem para que, quem busca aprender, consiga isso vivenciando essa experiência de campo junto conosco.

INVESTIMENTO NA CAPACITAÇÃO
Ter apenas um curso na área de drones não é o suficiente: você precisa ter uma marca que seja referência no mercado e que tenha experiência no segmento. A CallDrone pensa nisso de forma efetiva ao investir em equipamentos e profissionais habilitados, mas principalmente por colocar a mão na massa para criar um site e divulgar a empresa, atingindo mais clientes e se tornando uma das principais referências em filmagens aéreas do Brasil.

PLATAFORMA ONLINE
Além da teoria e prática, nosso aluno ainda ganha acesso a nossa plataforma exclusiva de ensino. Serão vídeo aulas passo a passo, aonde o aluno poderá encontrar as informações de forma rápida e objetiva. Você também poderá baixar a apostila em pdf para leitura e estudos.

CURSO DE EDIÇÃO ONLINE
Não basta apenas saber pilotar, você terá que aprender a editar vídeos para que os seus serviços sejam mais atrativos. Pensando nisso, nós oferecemos vídeo aulas de edição de vídeo nos melhores editores do mercado para que você sempre saia na frente para recuperar o seu investimento.

“Consultorias individuais que fazem a diferença na hora de começar o seu negócio de drones”

Desta forma, com uma plataforma para que os alunos possam aprender, ver e rever quanto quiserem as vídeo aulas, o conhecimento é focado apenas no interesse de quem deseja o conhecimento, fazendo com que os alunos da CallDrone saiam com experiência e capacitação muito acima de cursos que buscam apenas ensinar o básico – ou que, de forma negativa, buscam ensinar tudo sem levar em consideração o perfil dos seus alunos. No Curso de Pilotagem de drones você irá encontrar as melhores práticas para que você decole com precisão e segurança. Já no curso Empreendedor de drones , nosso aluno estará enfrentando desafios junto com a nossa equipe para acelerar a estrutura da sua empresa de filmagens aéreas.

Conheça, confira e comprove: ser aluno da CallDrone é estar à frente da concorrência e capacitado a atuar num mercado que só tende a crescer – e, nosso maior investimento, é em você!”


 

terça-feira, 30 janeiro 2018 / Publicado em Blog
O mercado de drones vem crescendo nitidamente nos últimos meses. Empresas de vários segmentos têm utilizado o drone como forma de inovar em seus negócios e agilizar seus serviços, principalmente os fotógrafos e videomakers.

Existem vários modelos de drones no mercado e muitas vezes a escolha do melhor equipamento pode gerar dúvidas. Por isso, elaboramos esse post com o intuito de mostrar os modelos de drones mais usados para capturar imagens e vídeosPHANTOM 4 PRO
Esse é considerado um dos modelos mais evoluídos se comparado a outros drones. Atende tanto demandas industriais quanto de lazer.
A começar pela sua câmera que possui sensor de 01 polegada, 20 megapixels, um obturador mecânico e é capaz de tirar até 14 fotos por segundo.
Sua capacidade de processamento de vídeos é muito maior. Seus sensores para desvio de obstáculos possuem um sistema duplo orientado via satélite e GPS. Além disso, o drone pode se manter no ar por até 30 minutos sem precisar recarregar e suporta cartão de memória de 128GB.
Além de possuir uma grande variedade de recursos e especificações, o Phantom 4 Pro é, sem dúvida, o melhor modelo em termos de qualidade de imagem e segurança.
Autonomia: 30 minutos de voo
Resolução Foto: 20 megapixel (obturador mecânico)
Resolução Vídeo: 4K 60fps
Sensores: 5 direções
Frequência: 2.4Ghz e 5.8Ghz

PHANTOM 4 ADVANCED
Lançado após o Phantom 4 Pro, o Phantom 4 Advanced é uma versão inferior ao robusto P4P, pois não possui alguns recursos de sensores e frequência igual ao seu irmão.
O Phantom 4 Advanced além de possuir um custo benefício alto, também entrega qualidade na estabilização e resolução de fotos e vídeos.
Porém deve-se lembrar que a perda de sinal com o seu drone poderá ser mais frequente do que o poderoso P4P, devido a operação ser apenas na frequência de 2.4 Ghz e também por não oferecer sensores traseiros e nem laterais de anti colisão.
Autonomia: 30 minutos de voo
Resolução Foto: 20 megapixel (obturador mecânico)
Resolução Vídeo: 4K 60fps
Sensores: Frontal e inferior
Frequência: 2.4Ghz
MAVIC PRO
O Mavic Pro é um drone com valor mais acessível e é considerado mais fácil para voar e para transportar por ser mais leve e compacto.
A sua bateria, comparada ao Phantom 4 Pro, dura 3 minutos a menos. Apesar de ser um equipamento menor, sua estabilidade com relação ao vento é considerada igual a do Phantom 4 Pro.

Mavic Pro é ideal para quem está iniciando seus trabalhos de foto e filmagem com drones e precisa de mobilidade para capturar suas imagens.
Autonomia: 27 minutos de voo
Resolução Foto: 12 megapixel (obturador eletrônico)
Resolução Vídeo: 4K 30fps
Sensores: Frontal e inferior
Frequência: 2.4Ghz
Como se não bastasse, outros novos modelos de drones com versões mais evoluídas, como o Phantom 4 Advanced Plus e o Phantom 4 Pro Plus, que possuem um controle remoto já com uma tela integrada superior a 5 polegadas, proporcionando maior brilho e nitidez das imagens durante a captação. Esses são apenas alguns dos diversos modelos que existem no mercado. Na hora de comprar o seu drone não escolha apenas pelo preço ou pela marca. Leve em consideração todas as características do equipamento e certifique-se de que o modelo escolhido será o mais adequado para a sua necessidade para evitar uma surpresa desagradável depois. E vale ressaltar: todo cuidado é pouco na hora de operar um drone! Por isso realize os devidos treinamentos prévios com a nossa equipe de pilotos de drones.
Cursos presenciais e online com especialistas no segmento de drones.
quinta-feira, 04 janeiro 2018 / Publicado em Blog
É comum cometer erros ao pilotar drones, seja você um piloto experiente ou iniciante. Mas para garantir o bom funcionamento do equipamento, e também a sua segurança, é bom tentar sempre não cometê-los.

Atualmente, o drone MAVIC PRO é um dos mais populares da DJI, para hobbystas e viajantes graças ao seu tamanho e portabilidade, devido a isso, nós trouxemos para você algumas dicas de como evitar acidentes ao pilotar o seu drone.
Quer saber quais são? Confira abaixo. Um dos grandes erros, é partir do pressuposto de que todos os sistemas de visão do drone estão ativos a todo momento. O modelo em questão conta com 5 câmeras, sendo que 4 delas dizem respeito ao sistema de visão para baixo e para frente. Ambas as câmeras ajudam na estabilidade do drone durante o voo, mas de maneiras diferentes. O sistema de visão avançada, por exemplo, ajuda para que o drone possa evitar obstáculos em sua rota frontal, tanto no modo manual no quanto no automático. No entanto, apesar da grande utilidade desses sistemas, eles não podem e nem vão evitar que um acidente aconteça em todas as situações. Um exemplo é o dos lugares que possuem pouca luz, por exemplo.
Nesses locais, os sistemas de câmeras do drone praticamente não funcionam, isso porque precisam de uma quantidade suficiente de luz para serem ativadas. Então, se você decidir pilotar seu drone Mavic PRO durante a noite, não adianta pensar que os sistemas de visão estão ativos, pois não estão, o mesmo acontece no modo esporte.
Para saber se os sistemas de visão estão de fato ativos, trouxemos algumas dicas. O LED é uma delas, também chamado de “Indicador de Status”, ele fica localizado na parte traseira do drone, e avisa através de uma luz verde quando os sistemas de visão estão inativos. Outra maneira é verificando se o ícone do sensor, que fica na primeira linha de ícones, está vermelho. Se a resposta for sim, significa que os sistemas de visão do aplicativo estão inativos.

Outro erro bastante comum é, durante o voo, não retirar a tampa e a trava do gimbal. O modelo Mavic PRO vem com 2 peças de plástico que têm como objetivo proteger o seu gimbal de danos externos. A Cover é o “capacete dos astronauta”, que protege a lente da câmera e o gimbal de danos. E a Clamp é a responsável por bloquear o gimbal durante movimentos, mantendo-o no lugar. Manter o Cover da câmera durante um voo não é um erro, mas isso depende do tipo de voo que você deseja fazer. Ele fornecerá uma proteção extra se você estiver com medo de bater em alguma coisa, e também protegerá a lente do drone de elementos como água ou poeira. No entanto, se você deseja obter uma qualidade de imagem melhor, o recomendado é retirar a tampa. Dessa forma, você pode obter o brilho da lente, o que comprometeria a qualidade de suas fotos e/ou vídeos caso a tampa estivesse suja.
Atente-se também ao Check-point, veja se seu Mavic está conectado com o número de satélites suficientes para retornar ao ponto de partida caso tenha algum problema, analise a condição climática e o local de decolagem
Outra dica bastante importante é nunca esquecer de colocar o Clamp do gimbal após o seu voo. Caso contrário, as chances de que ele se mova durante o transporte são muito grandes, e isso pode danificar o drone.
Bons Voos.
segunda-feira, 11 dezembro 2017 / Publicado em Blog
Dentro da realidade atual, que é multiplataforma, o jornalismo tem feito experiências com várias novidades tecnológicas, que trazem benefícios no processo de obtenção da notícia.
Nesse contexto, o drone surge como uma grande e polêmica novidade, sendo um dos aparatos mais recentes com utilização voltada a coberturas jornalísticas que exigem mais cuidados e estrutura (como manifestações, por exemplo). Tamanha união e parceria entre a atividade jornalística e sua mais nova ferramenta até deu origem a um inusitado termo: dronalismo.

O fato é que os drones alcançam locais aonde os olhos humanos geralmente não chegam, portanto, reside aí o seu maior diferencial jornalístico. Além disso, o uso desses equipamentos evita a inserção de jornalistas em locais de risco (como guerras e desastres naturais, por exemplo). Além de ganhar novos ângulos para ilustrar a notícia, o uso do drone permite que o repórter não se sujeite a um risco maior do que o necessário durante sua atividade profissional. Atualmente são várias as organizações jornalísticas que decidiram experimentar os benefícios de ter um Vant (Veículo Aéreo Não Tripulado). Essa popularização do uso de drones está trazendo à tona dois debates primordiais: o primeiro com relação à ética, suscitando a forma correta de utilização por meio dos veículos de comunicação, e o segundo relembrando os cuidados necessários com a segurança no manuseio dessa ferramenta, que requer curso específico a fim de evitar prejuízos e acidentes. Grandes veículos de imprensa já começaram a colocar em prática o uso de drones e, para isso, precisam tomar certos cuidados. Além das questões acerca da prática jornalística em si, é importante que o profissional de imprensa que for operar o aparelho esteja habilitado para isso. Portanto, ele precisará ter passado por uma capacitação em uso de drones.
Os cursos geralmente preveem carga horária dividida em teoria e prática passando por tópicos como esses: normas da ANAC (como operar dentro da lei), seguro obrigatório para drones, locais onde voar (e onde não voar), como configurar a câmera e o drone, modos de voo (focando na segurança de voo) e check-up pré-decolagem. A capacitação do jornalista na utilização de drones garante uma maior profissionalização do jornalismo e evita acidentes que comprometem a integridade física da população em geral, além de muitos prejuízos financeiros, já que um aparelho desses não possui um investimento baixo.
Submeter as pessoas a riscos durante coberturas jornalísticas afeta inclusive a credibilidade da imprensa ao tentar se posicionar como utilizadora de drones. O que tem se visto na mídia brasileira é que muita vezes o drone aparece mais como atração do que propriamente como uma ferramenta de reportagem. Essa tendência jornalística, que parece não ter volta, deu origem até a um grupo intitulado Sociedade de Jornalistas Profissionais-Drone, que ajuda a definir parâmetros para uma conduta segura com base nos critérios de noticiabilidade, ética, respeito às leis de aviação civil e políticas de uso de Vant em locais públicos.
Se você tem interesse em conhecer mais sobre os drones, preencha o formulário abaixo para não perder as novidades desse mercado.
terça-feira, 14 novembro 2017 / Publicado em Blog

Os drones estão conquistando muitos brasileiros. Muitos querem comprar por puro hobby e diversão, outros querem para um cunho mais profissional. Por isso, para ajudar a todos, neste post preparemos dicas de quem quer começar no ramo dos drones, seja com o intuito comercial ou por pura diversão. Há 3 categorias de drones das quais vamos apresentar características para que você possa tomar a decisão de qual drone comprar. Para iniciantes em treinamento Se você é iniciante no assunto dos drones, indicamos que você compre um multirotor apenas para treinar a coordenação motora, com um controle remoto mais simples. Porém não ache que a simplicidade é fácil. Mesmo sendo um drone de iniciante, requer um tempo para praticar e de fato adquirir prática tendo em vista que esses modelos não possuem GPS em sua maioria. Esse modelo de drone é facilmente encontrado em sites estrangeiros que entregam no Brasil e custam em torno de R$ 75. Para iniciantes com noções de pilotagem Se você já participou de algum treinamento de pilotagem ou já teve a experiência de pilotar um drone de um amigo, por exemplo, você pode adquirir um drone para iniciante, que já contam com câmera e estão disponíveis em dois modelos, o RTF, que é só tirar da caixa e começar a voar e o ARTF, que são direcionados para aqueles que gostam de fazer alterações no drone, pois possuem algumas peças desmontadas. Esses drones em sites estrangeiros podem custar R$130 e no Brasil está em torno de R$500. Para esse modelo, sugerimos você pensar da seguinte forma: se você não gosta de montar e desmontar coisas e quer somente o drone para diversão, compre o drone do modelo RTF e já tire da caixa e comece a voar. Agora, se você é curioso e quer saber como as coisas funcionam, gosta de montar seus projetos, opte pelo modelo ARTF e reserve um tempo para esse trabalho de montagem antes de começar a pilotar o seu drone. Para profissionais: multirotor profissional Um drone profissional tem um valor de investimento bastante alto. No Brasil, por exemplo, não sai por menos de R$ 7 mil reais. Um dos usos mais comuns no Brasil é a filmagem e fotografias de eventos, obras, imóveis, vídeos institucionais de empresas, etc. Se o seu objetivo é isso, busque fabricantes mais conhecidos e opte por comprar um drone que possua assistência técnica no Brasil. Drones e suas legislações Você sabia que os drones têm a sua própria legislação? Você pode encontrar a publicação completa da legislação no site da ANAC, mas faremos um resumo aqui para vocês terem um conhecimento inicial do que é ou não permitido. Primeiro, é importante saber que a legislação é categorizada em 3 partes: drones de 250g até 25kg, drones entre 25 e 150kg e drones acima de 150kg. Drones de 250g até 25kg: – Só podem operar durante o período diurno – É obrigatório ficar a 30 metros tanto do solo quanto de edifícios e pessoas. – Não pode ultrapassar a velocidade de 55km/h. – Deve manter a distância de no mínimo 5,5km de aeroportos e rotas aéreas.
– É necessário seguro com cobertura para terceiros. Drones entre 25 até 150kg: – É obrigatório ficar a 30 metros tanto do solo quanto de edifícios e pessoas. – Não pode ultrapassar a velocidade de 110km/h – Não poderá voar numa distância superior a 500 metros do piloto. – Deve manter a distância de no mínimo 9,2km de aeroportos e rotas aéreas.
– É necessário autorizações especiais.
– É necessário seguro com cobertura para terceiros e exames médicos. Drones acima de 150kg devem ter autorização para voar.
segunda-feira, 06 novembro 2017 / Publicado em Blog

Mãos trêmulas em sinal de apreensão, várias cabeças amontoadas, todas viradas em direção ao céu olhando atentas o voo daquele aparelhinho aparentemente frágil, mas que demonstra ser capaz de ganhar os céus com um rapidez incrível. Com o uso já se popularizando ampliam-se também as funcionalidades desse equipamento. Há quem goste de desafiar o drone a chegar a sua capacidade máxima, colocando-o, por exemplo, para voar por cima de locais com água. Já imaginou aquela cena linda adentrando o mar com as ondas quebrando? Ou aquele close na beira da piscina? Ou até mesmo aquele voo rasante sobre um lago cheio de natureza em volta? Pois então, todas essas imagens são possíveis de ser capturadas com a utilização correta do drone. Basta que a pessoa que for pilotar o equipamento siga as dicas a seguir: – Primeiro ligue o drone e faça a calibragem de compasso. Sempre verifique se o seu GPS esteja ligado e se o seu Home Point esteja localizado no ponto de decolagem. – Depois desabilite a função Vídeo Position System. Quando habilitada ela pode gerar uma desorientação no sensor do drone, o que pode ocasionar um desorientação da superfície de voo. – Fique sempre atento à bateria. Essa dica é muito importante! O drone programa-se para pouso de emergência quando a bateria chega em 10%, portanto nunca deixe chegar nesse ponto. O ideal é decolar com totalmente carregada e ir controlando ela na medida em que o equipamento está voando, sem deixar chegar nesse limite crítico. – Mantenha-se sempre a uns 5 ou 10 m da água. O drone por vezes se desloca um pouco mais para cima ou um pouco mais para baixo, então manter essa distância de segurança evita acidentes. – Procure se distanciar de qualquer obstáculo que ofereça interferência na calibração do compasso e no sinal (como antenas em geral, aparelhos eletromagnéticos e torres de telecomunicação). – Nunca voe próximo a pássaros. Como qualquer outro animal, o pássaro possui instinto de proteção e vai colocá-lo em prática no caso de um contato com o drone, que é um objeto estranho para ele e que representa ameaça. – Caso o seu voo esteja partindo de embarcações, perceba que o Home Point (ponto de decolagem) estará em movimento. Isso significa que se o aparelho fizer uma tentativa de pouso será no modo “autônomo” que, nesse caso, o levará direto para a água. Para evitar que isso aconteça é preciso acionar o pouso manualmente. – Se apesar de todas essas dicas você tiver a infelicidade de deixar seu drone cair na água saiba que o prejuízo é certo. Mas, mesmo assim, na maioria das vezes você ainda consegue salvar alguns itens, como o cartão de memória, por exemplo.
Nunca arrisque demais o seu equipamento, há não ser que seja um trabalho muito bem remunerado para compensar os riscos de pilotagem.
sexta-feira, 27 outubro 2017 / Publicado em Blog

Os drones estão revolucionando muitos serviços comerciais. Nos Estados Unidos, por exemplo, os drones fazem entrega de pizza, entrega de mercadorias. Mas o assunto que falaremos hoje é um serviço muito procurado aqui no Brasil: a filmagem e fotografias de casamento com o uso de drones. Não há como negar que é um ângulo de filmagem e de fotografia bastante interessante e que dá uma visão geral, ampla e muita emoção para as imagens. Se você está pensando em usar drones no seu casamento, não deixe de ler esse texto antes, pois vamos trazer prós e contras da contratação deste serviço. OS PRÓS E CONTRAS DE USAR DRONES NO CASAMENTO Queremos um dia perfeito, com registros e memórias inesquecíveis. Em qualquer feira de noivas que se vá, os drones sempre estarão lá, conquistando o coração dos noivos com fotos e imagens incríveis de exemplo de festas de casamento com drone. Mas saiba que há uma linha tênue entre o sucesso e o desastre do uso deste serviço em casamentos. Preparamos aqui os prós e contras de usar o drone para fazer as imagens de um dos dias mais especiais da sua vida: o seu casamento!PRÓS – Imagens feitas por ângulos impossíveis de o fotógrafo alcançar. Os planos e a altura que o drone alcança, proporciona para as fotografias amplitude e ângulos curiosos e novos, oferecendo visões que ninguém do casamento teve. – Os noivos, as madrinhas e padrinhos podem pensar em formatos para “desenhar” um coração, por exemplo, utilizando as próprias pessoas, e o drone pode sobrevoar bem alto e fazer o registro, seja de uma palavra ou de uma forma que represente algo para o casamento. Essa modalidade é também conhecida como flash mob. – Oferecem certo distanciamento das pessoas e capturam imagens mais espontâneas, cheia de emoção e registra a parte real e não posada da festa e dos convidados. Consegue traduzir o verdadeiro clima do ambiente, da festa e a felicidade de todos os presentes.CONTRAS – Não tem como negar que é perigoso. A falha humana e a falha de comunicação quando se pilota o drone pode ocasionar acidentes graves. – Por lei, o drone não pode sobrevoar em lugares fechados. Ou seja, se o seu casamento não for ao ar livre, você não poderá utilizar drones para sobrevoar a igreja, por exemplo. – Como o voo é somente ao ar livre, se tiver sol, porém muito vento, o drone não poderá decolar. Você sempre correrá o risco e estará sujeita às condições climáticas do dia e do local do casamento. – Custa caro! Sim, é um serviço que está em bastante crescimento, o que faz o preço ser muito elevado. E acredite que o barato pode sair bem caro neste caso. Contratar amador para pilotar drones não é uma boa ideia e pode ocasionar um acidente na sua festa de casamento. Por isso, quando você optar pelo uso do drone, contrate um profissional e tenha a certeza de que ele é altamente preparado e apto a oferecer esse serviço.
terça-feira, 24 outubro 2017 / Publicado em Blog

O ser humano sempre foi apaixonado pela ideia de voar. A curiosidade sobre o que se enxerga lá do alto foi, ao longo do tempo, sendo atendida por imagens obtidas por meio de fotografias ou filmagens em balões, helicópteros e aviões. O avanço da tecnologia criou equipamentos chamados de “Veículo Aéreo Não Tripulado (Vant)”, como o famoso e desejado drone. Até hoje é o que nos aproxima mais da sensação de voar como um pássaro, pois seu tamanho pequeno torna possível flutuar por espaços antes inacessíveis. Essa novidade tem revolucionado o mundo da fotografia. Em cerca de 200 anos de existência, a fotografia já passou por algumas viradas e a chegada dos drones parece ser mais um capítulo dessa história. A existência de equipamentos como esse nos permitiu a inédita capacidade de fazer fotos aéreas como se estivéssemos flutuando pelos ares e nos deu a oportunidade de ver belos lugares diante de uma perspectiva semelhante a dos pássaros. A utilização de drones não exclui a necessidade de se ter uma postura que inclua atenção com enquadramento, edição, iluminação e todos os demais cuidados que os fotógrafos profissionais costumam ter. Isso significa que não necessariamente um bom piloto de drone será um bom fotógrafo. E vice-versa. Para fotografar com Drone é necessária, além da habilidade signa de um fotógrafo, também conhecimentos técnicos de pilotagem, que levem em conta os cuidados com o equipamento e a segurança das pessoas. A linguagem fotográfica que nasceu com o surgimento dos drones se soma às técnicas já existentes e muito utilizadas pelos fotógrafos. Os profissionais da área geralmente são extremamente criativos e usam vários recursos para modificar o ângulo e as perspectivas da imagem (como se posicionar no chão ou então subir em um nível acima do objeto a ser capturado). Nesse sentido, o drone vem como um aliado na composição da fotografia, oferecendo ângulos inéditos e favorecendo a criatividade. Na medida em que transforma a linguagem fotográfica, o uso de Vants também está modificando o cenário dos concursos de fotografia. Hoje já existem prêmios exclusivos, como o International Drone Photography Contest e o SkyPixel Photo Contest. A nova tendência também deu origem a um site específico, o Dronestagram que, em parceria com a National Geographic e com a fabricante de câmeras GoPro, lançou o concurso internacional Drone Aerial Photography Contest que, inclusive, premiou um brasileiro em primeiro lugar em 2015. Participar dessas competições é sempre uma experiência enriquecedora, que serve como fonte de inspiração e nos posiciona diante daquilo que está sendo produzido pelos melhores ao redor do mundo. O resultado é uma motivação para produzir imagens cada vez mais aprimoradas para atender ao elevado nível de exigência dos avaliadores. Anexar uma premiação dessas ao currículo dá visibilidade e impulsiona a carreira de quem trabalha na área. Para quem deseja investir nessas competições, não pode deixar de lado cuidados como: manter o equipamento a uma altitude segura, testar o drone antes do voo, prestar atenção nas condições do vento e na posição do sol e planejar detalhadamente a cena a ser capturada (fazer um check list).
sexta-feira, 20 outubro 2017 / Publicado em Blog

Os drones chegaram para marcar uma nova era na revolução das tecnologias. Uma prova disso é o estudo feito pela Administração de Aviação Federal dos Estados Unidos, onde, em 2010, mostrou que até 2020 haveria cerca de 15 mil drones. Hoje, em 2017, esse número é considerado a venda mensal de drones no país.
Quando usados com responsabilidade e conhecimento técnico, os drones são bastante seguros. No entanto, em Portugal, por exemplo, os acidentes, desde 2015 vêm só aumentando. Em 2015 foram registrados 5, em 2016, 20 acidentes e agora, em 2017 foram registrados, até o momento, 11.
Fizemos esse post para alertá-lo dos 5 acidentes mais comuns que podem acontecer, seja por falha humana ou por falha técnica.
FALHA DE COMUNICAÇÃO
Segundo pesquisa realizada pela School of Engineering e Edith Cowan University, nos Estados Unidos, ficou comprovado que a maior causa de acidentes ou incidentes com drones é a falha da comunicação. Dos 150 acidentes estudados e analisados, 64% deles sofreram com falhas técnicas. O problema de comunicação é entre o controle remoto e o sistema da aeronave, que é pilotada remotamente. Quando a aeronave não responde mais aos comandos, pode ficar desgovernada e atingir um ser humano ou cair em um local de forma brusca e quebrar o drone.
COLISÃO COM AERONAVES TRIPULADAS
A colisão pode ocasionar um gravíssimo acidente e matar centenas de pessoas. Por isso, a ANAC (Autoridade Nacional de Proteção Civil) definiu regras de voo dos drones. A aeronave não tripulada não é permitida a fazer sobrevoos perto de aeroportos e aeroclubles. Além disso, são proibidos voos verticais acima de 120m, somente mediante a autorização.
FALHA HUMANA
Atualmente, qualquer pessoa pode ter um drone e não é necessário ter nenhuma habilitação, o que torna a falha humana uma causa bastante comum de acidentes. E acredite, um acidente com drone e humanos pode ser fatal ou ocasionar a perda da visão, por exemplo. Esse caso aconteceu com um bebê britânico, onde o amigo da família pilotava um drone, no intuito de diversão, perdeu o controle e atingiu o bebê, que perdeu um dos olhos por causa do acidente. Todo o cuidado é pouco e um acidente de drone pode acontecer em poucos segundos. É preciso estar atento a todo o momento, como se estivesse, de fato, dirigindo um avião ou um automóvel.
IRRESPONSABILIDADE HUMANA
Nos Estados Unidos, os drones vêm sendo um dos presentes de Natal mais comprados para as crianças. Com 100 dólares é possível adquirir um por lá. A prova de que os drones, nas mãos das crianças, são muito perigosos são os tweets escritos pelas próprias crianças ou pelos pais contando que o drone bateu na parede e destruiu, que o drone se perdeu e o controle remoto não se comunica mais e a criança perdeu o “brinquedo”. É preciso ter a responsabilidade e consciência de que o drone não é brinquedo, e, sim, uma aeronave não tripulada pilotada.
DESCONHECIMENTO E DESRESPEITO ÀS LEIS
No dia 2 de maio deste ano, foi publicado que as regras da ANAC para o uso de drones entraram em vigor. O objetivo principal é prezar pela segurança do espaço aéreo e das pessoas para todos os tipos de uso de drones: recreativo, corporativo, comercial ou experimental. O não seguimento das regras pode ocasionar acidentes.

Por isso, hoje, há cursos para pilotar drones, onde há a parte teórica das regras, para que todos estejam cientes e as respeitem. É como se fosse regra de trânsito. Quantos acidentes ocorreriam se não houvesse regras de trânsito? Com as regras do drone não é diferente. É preciso segui-las para que acidentes sejam evitados.


sexta-feira, 22 setembro 2017 / Publicado em Blog
Comprou um drone e está sem ideia de como usá-lo? Ou passou os primeiros dias fazendo diversos testes, mas agora sente que a criatividade passou? Sua empresa investiu em um drone e o equipamento está sem uso?
Confira a seguir algumas dicas fáceis e saiba como aproveitar ao máximo as possibilidades que o seu drone oferece.

Dicas para aproveitar os drones ao máximo
1. Divirta-se:
Conheça novos locais, pesquise aeroclubes próximos da sua localidade. Explore o seu equipamento, faça imagens de parentes e amigos, e o que mais a criatividade mandar. Dessa forma, você se acostuma com o seu equipamento e passa a perceber quais áreas mais lhe atraem: fotografia ou filmagem, fotos de pessoas ou de paisagem, etc.
2. Estude:
Tire um tempo para estudar mais sobre drones, assim, você pode ter ideias de como usar melhor o seu equipamento. Além disso, é importante estudar mais sobre pilotagem de drones e edição de fotos e vídeos. Ainda que você possa contar com o auxílio de profissionais experientes, é sempre interessante compreender melhor o funcionamento de cada passo.
3. Paisagens:
Mude de cenário, saia da sua vizinhança e procure novos locais para explorar. Prefira espaços abertos e com belas paisagens. Assim, você se sentirá mais motivado a sair de casa e praticar as suas habilidades no setor. Vale ressaltar que espaços pequenos, fechados ou com muitas pessoas devem ser evitados. Esses ambientes apresentam riscos para o voo, podendo danificar o seu equipamento ou provocar um acidente.
4. Conheça o seu equipamento:
Saiba quais são as vantagens e as limitações do seu drone. Dessa forma, é possível planejar aventuras que estejam de acordo com a capacidade do seu equipamento. Aproveitando ao máximo cada detalhe. Observe se a bateria está carregada, anote a altura máxima de voo e o alcance do controle e, por fim, sempre verifique o equipamento após o voo. Caso alguma peça se solte, você poderá procurar no local e resolver maiores problemas.
5. Renda extra:
Outra opção de uso para o seu drone é a rentabilização do que pode ser visto apenas como hobbie. Vale fotografar e filmar casamentos, empreender no mercado imobiliário, eventos esportivos e ainda, Você pode, também, alugar o seu drone por dia ou por hora, para fotógrafos ou empresas.
Para isso, basta começar a divulgar o serviço e montar um contrato que dê segurança para as duas partes.
Como conservar o seu drone:
– Evite voar quando o clima não estiver favorável. Chuva e vento forte podem danificar o seu equipamento
– Conheça o local antes de voar, saiba se tem fios elétricos e outros obstáculos
– Evite locais impróprios, sujos ou perigosos
– Respeite as informações do fabricante, como limites de altura e de peso, por exemplo
– Faça checagens frequentes, observando o estado de conservação de cada peça
– Mantenha as peças limpas e secas
terça-feira, 19 setembro 2017 / Publicado em Blog

A união entre drones e fotografia veio para revolucionar o mercado fotográfico de vez. Essa é uma área com grande demanda e, ainda, com poucos profissionais qualificados. Além disso, o setor está em constante crescimento e deve movimentar cerca de 30 bilhões de dólares nos próximos anos. Então, se você gosta de fotografar e curte tecnologia, confira as dicas a seguir. Dicas de fotografia com drones 1. Planejamento Fotografar com drones é um trabalho que começa muito antes do clique de cada imagem. É preciso conhecer o local, verificar a previsão do tempo, checar baterias e funcionamento de todo o equipamento, chegar mais cedo para fazer algumas imagens de teste e poder configurar ajustes de iluminação e o que mais se mostrar necessário em cada caso. Além disso, faça um plano de voo para o dia da filmagem, assim você conseguirá aproveitar os melhores ângulos e não perderá nenhum momento importante. Vale prever cenas e realizar voos de reconhecimento de ambiente antes de executar suas filmagens.
2. Segurança
É importante observar a altura do voo, escolhendo uma altitude adequada para registrar as fotos com qualidades, ao mesmo tempo em que se mantém uma distância segura de pessoas e objetos presentes no local. Vale destacar que os drones devem voar apenas em espaços abertos. Além de ser complicado e arriscado manipular o dispositivo em um local fechado, o barulho do voo acabaria distraindo os convidados e afetaria a espontaneidade das fotografias. 3. Iluminação
A posição do sol, objetos que refletem luz no solo, passagem de horário e tantos outros fatores influenciam a iluminação e podem interferir na captura das imagens. Para obter melhores resultados, vale a pena utilizar filtros de lente e fazer testes prévios. Outra opção é acompanhar o voo pela tela do celular ou tablet. Assim, o fotógrafo pode observar a qualidade das imagens em tempo real e ajustar a iluminação quando necessário. 4. Formato
Prefira tirar as fotos no formato RAW. Assim, você pode editar as imagens sem perder qualidade e, então, converter os arquivos para Jpeg. A distância entre equipamento e objeto fotografado pode ser um obstáculo para câmeras de baixa qualidade e, nesses casos, o formato RAW ajuda a compensar e melhora os resultados. 5. Bracketing
Essa técnica consiste em registrar mais de uma foto da mesma cena, fazendo vários cliques seguidos. Dessa forma, é possível garantir que terá imagens de qualidade para entregar ao cliente. Afinal, é comum que algumas imagens sejam descartadas, pois um convidado saiu com o olho fechado, um detalhe ficou desfocado ou outro imprevisto. Observar essas informações em tempo real não é viável, então vale a pena registrar um número maior de imagens e trabalhar esses resultados na pós-produção, editando todas as imagens. Nesse ponto, o formato RAW se mostrará bastante útil e fará a diferença na qualidade do seu trabalho final.
TOP